FAMÍLIA E ESCOLA: UM MOSAICO EDUCACIONAL

Antes de qualquer reflexão, é considerável contemplar a forma como nós – pais, responsáveis, professores e demais atores do processo educativo – temos estimulado nossas crianças e imprimido qualidade a esses estímulos, no processo global de desenvolvimento. 

O fenômeno educacional é construído na sociedade com o propósito de transformação e construção do conhecimento, tendo como objetivo uma aprendizagem humana e respeitosa dentro e fora do cenário escolar. Por isso, o apoio e a participação da família podem gerar impactos na implementação das rotinas escolares.

Muitos são os desafios da educação. Assim sendo, a interação família e escola é de grande valia para o compromisso e o fortalecimento da educação. Nesse sentido, as psicólogas Auxiliadora Dessen e Ana Polonia atribuem significados importantes à função da família no processo de aprendizagem:

Como primeira mediadora entre o homem e a cultura, a família constitui a unidade dinâmica das relações de cunho afetivo, social e cognitivo que estão imersas nas condições materiais, históricas e culturais de um dado grupo social. Ela é a matriz da aprendizagem humana, com significados e práticas culturais próprias que geram modelos de relação interpessoal e de construção individual e coletiva. (2007, p.22)

Nosso posicionamento também corrobora a definição e a contextualização da função social da escola proposta pelas referidas autoras, nesta perspectiva:

Como um microssistema da sociedade, ela [a escola] não apenas reflete as transformações atuais, como também tem que lidar com as diferentes demandas do mundo globalizado. Uma de suas tarefas mais importantes, embora difícil de ser implementada, é preparar tanto alunos como professores e pais para viverem e superarem as dificuldades em um mundo de mudanças rápidas e de conflitos interpessoais, contribuindo para o processo de desenvolvimento do indivíduo. (2007, p.25).

Assim, a família e a escola, embora sejam peças diferentes, únicas, e exerçam funções específicas, formam um mosaico educacional uno. O alvo das duas instituições é o mesmo: caminhar em direção ao pleno desenvolvimento integral do ser humano. O ambiente escolar torna-se, então, um excelente espaço de promoção do convívio social, da construção intelectual e cultural, do fortalecimento de valores e, quando articulado com a família, traz consequências positivas e significativas para toda a comunidade escolar. Além disso, potencializa a inserção da dinâmica cultural trazida pelos indivíduos, com suas particularidades.

A relação socioafetiva, por exemplo, exerce papel essencial para o desenvolvimento cognitivo. Os laços afetivos, quando bem estabelecidos no meio familiar e convergentes com as práticas pedagógicas, propiciam relações acolhedoras, que contribuem ativamente para a construção cognitiva do educando. A criança que cresce num ambiente de equilíbrio tem suas capacidades de aprendizagem ampliadas e, assim, fortalecem o seu pleno desenvolvimento.

A ideia é que a escola busque interagir sempre com a família no intuito de alcançar autonomia e criticidade reflexiva na vida dos educandos. Para educar e cuidar, todos os segmentos da educação precisam estar em consonância e encontrar o apoio da família. Um exemplo disso são os projetos pedagógicos que norteiam as ações escolares, contribuindo diretamente no processo de formação de cada aluno.  Portanto, o envolvimento e a colaboração da família nesses projetos ganham relevância no processo educacional, motivando os alunos ao aprendizado efetivo, alcançando, assim, os objetivos almejados por ambas as partes.

Enfatizamos também as funções distintas e, ao mesmo tempo, complementares entre as duas instituições. Nesse contexto, compreendemos que existe uma interdependência entre ambas. Assim, quando uma delas não exerce bem seu papel, é a criança quem suporta as consequências no seu processo de aprendizagem.

Para favorecer o desenvolvimento e a aprendizagem de nossos alunos, acreditamos que é preciso propor a construção de uma base para relacionamentos produtivos nos diferentes contextos vivenciados por eles. É com imensa satisfação que temos fortalecido essa importante parceria da família nas atividades, projetos e ações sociais promovidos por nossa escola. E por essa razão, temos colhido bons frutos a cada ano. Nosso desejo é que, juntas, família e escola encontrem o equilíbrio necessário nas ações, estimulando o bom desenvolvimento educacional numa perspectiva integral do ser humano.

Rossane Henriques

Coordenadora Pedagógica da Educação Infantil

Referências: DESSEN, Maria Auxiliadora; POLONIA, Ana da Costa. A Família e a Escola como contextos de desenvolvimento humano. Scielo 37 Brasil, Universidade de Brasília, Distrito Federal, Brasil, p.21-32, 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/paideia/v17n36/v17n36a03.pdf. Acesso em 19 de agosto 2019.



Deixe um Comentário